Câmara Municipal de Portalegre

Património Classificado

ESTRUTURA PATRIMONIAL EXISTENTE

O património arquitetónico de Portalegre é constituído não só pelos edifícios classificados e em vias de classificação bem como os edifícios com valor de conjunto que se distinguem não só pela escala volumétrica, métrica de vãos, mas também pelas tipologias e épocas construtivas.

 

- IMÓVEIS CLASSIFICADOS MONUMENTO NACIONAL:

Sé / Catedral de Portalegre – Monumento Nacional
(D.L.de 16/06/1910)- ZP  
Imóvel do Séc. XVI /XVIII
Intervenção da D.G.E.M.N em 1938/39 no interior.

-
Muralhas do Castelo de Portalegre- Monumento Nacional (D.L. 8217, de 29/06/1922)- ZP.
Mandado edificar por D. Dinis, em 1290
As muralhas inicialmente possuíam sete portas.

-
Lápide do Município Monumento Nacional (D.L. de 16/06/1910)-ZP

-
Casa da Rua de Azevedo Coutinho- Monumento Nacional (D.L. de 16/06/1910) – ZP
Palácio mandado edificar por D. Nuno Vaz de Sousa, pertenceu aos condes de Melo. Da primitiva construção restam as Janelas Manuelinas de 1538.
A fachada mantem alguns elementos do Barroco.

-
Igreja de São Bernardo, o túmulo de D. Jorge de Melo e os claustros do convento- Monumento Nacional (D.L. de 16/06/1910 e D.L. de 18/05/1957) – ZEP
Este edifício marca o início do Renascimento.

-
Claustros (existentes no convento anexo à Igreja de São Bernardo) – Monumento Nacional (D.L. 30762 de 26/09/1940 e D.L. 32973 de 18/08/1943) –ZEP

-
Cruzeiro de Portalegre (São Bernardo) – Monumento Nacional (D.L. de 16/06/1910) –ZEP

-
Convento de santa Clara – Monumento Nacional (DL 8518 de 30/11/1922 e DL n.º 25523 de 20/06/1935) – ZP
Séc. XIV
De Freiras Franciscanas foi fundado pela Rainha D. Leonor Teles, em 1376. De aparência modesta possui um notável claustro de arcos ogivais apoiados em delgados pilares.

-
Castelo de Alegrete – Monumento Nacional (DL 35443 de 02/02/1946-ZP.
O castelo foi mandado edificar por D Dinis, em 1319.
Caracteriza-se por ser uma estrutura, de planta retangular, de muralhas ameadas e devidamente espaçadas por torres cilíndricas que serviam de cerco à antiga vila.

 

- Imoveis classificados de interesse Público:

Casa Amarela / Palácio Amarelo – Imóvel de Interesse Público (D.L. 516/71 de 24/11/1971) – ZP
Palácio dos Rombos Tavares (mandado construir no séc. XVII sofreu importantes modificações no início do séc. XIX, ficou conhecido como Palácio Amarelo, devido à cor ocre que lhe cobre as paredes. Foi solar da Família Rombo de Tavares.
Este Palácio é de estilo marcadamente Barroco.

-
Palácio Barahona - Imóvel de Interesse Público (D.L. 28/82 de 26/02/1982) –ZP
Atual arquivo distrital foi construído nos finais do séc. XVIII, ou início do séc. XIX.
Edifício de feições Barrocas possui uma fachada de 37m de frente.

-
Igreja do Convento de São Francisco – Imóvel de Interesse Público (D.L. 47508 de 24/01/1967) -ZP.

Séc. XIII/XIV/XVIII.
Recentemente sofreu obras de beneficiação.

-
Igreja do Senhor do Bonfim- Imóvel de Interesse Público (D.L. 251/70 de 03/06/1970) -ZP.

Séc. XVIII
Possui azulejos e talhas com valor.

-
Igreja da Misericórdia e consistório – Imóvel de interesse público (DL 33587 de 27/03/1994) -ZP

Imóvel do séc. XVI
O edifício sofreu algumas alterações, o projeto para adaptação ao conservatório de Musica foi da autoria do Arq. Carrilho da Graça.

-
Castelo do Torrejão/torre de vigia Atalaia/torre do Atalaião – Imóvel de interesse público (DL 129/77 de 29/09/1977) - ZP
Séc. XIV/XV

-
Capela Nossa Senhora da Penha – Imóvel de interesse público (DL 8/83 de 24/01/1983) - ZP
Séc. XVII

 

- Conjunto classificado de interesse público:

O conjunto Igreja, antigo Convento de S. Francisco e Fábrica de cortiça Robinson – Classificado por anúncio n.º 13581/2012 como conjunto de interesse público (CIP).
O referido conjunto possui ZEP
A fábrica de cortiça Robinson engloba parte do convento de S. Francisco que remonta ao séc. XIII/XIV/XVIII.

 

- Imóveis classificados de interesse municipal:

Construções Setecentistas e Chafariz- Interesse Municipal (D.L. 129/77 de 29/09/1977).
Séc. XVIII.

-
Prédio na Rua 5 de Outubro n.º 3 e 5 - Interesse Municipal (D.L. 129/77 de 29/09/1977).

-
Prédio no gaveto da Rua 5 de Outubro n.º 125 e 129 - Interesse Municipal (D.L. 129/77 de 29/09/1977).
Séc. XVIII.

-
Ex Teatro de Portalegre/Teatro Portalegrense - Interesse Municipal (Data da classificação 08.02.2010 (CM) e 27.12.2013 Assembleia Municipal).
Construído na segunda metade do séc. XIX, funcionou mais de um século como teatro.
O projeto é da autoria do Arq. José de Sousa Larcher.

-
Quinta da Queijeirinha - Interesse Municipal (Data da classificação 24.05.2006 (CM) e 30.06.2006 Assembleia Municipal).
Situa-se no Reguengo e tem como função habitação e instalações agropecuárias.

-
Quinta da Provença - Interesse Municipal (Data da classificação 27.04.2005 (CM) e 27.06.2005 Assembleia Municipal).
Situa-se na Ribeira de Nisa e tem como função Turismo em espaço Rural

-
Seminário do Imaculado Coração de Maria - Interesse Municipal (Data da classificação 18.11.2013 (CM) e 27.01.2014 Assembleia Municipal).
Atual seminário.
O edifício foi concebido à imagem do mentor da obra (D. Agostinho Lopes de Moura) e é representativo do regime politico vigente no pais na altura o Estado Novo.

 

- Imóveis em vias de classificação:

Edifício da Fábrica Real – Em vias de classificação
Séc. XVIII
Atual Paços do Concelho.
Parte do edifício funcionou como colégio dos Jesuítas.
A Real fábrica de Lanifícios foi mandada instalar pelo Marquês de Pombal. O edifício reúne duas tipologias distintas, arquitetura religiosa séc. XVII e arquitetura industrial do séc. XVIII.

-
Colégio de Santo António e Convento - Em vias de classificação
Séc. XVI
Do edifício do convento de 1572 só resta parte da fachada com três arcos redondos de pedra aparelhada, com um nicho.

 

Classificação do Seminário do Imaculado Coração de Maria

ブランドコピー スーパーコピーブランド コピーブランド ブランドバッグコピー ブランドコピー時計 ブランドコピー財布