Câmara Municipal de Portalegre

FREGUESIA DE FORTIOS

Orago: S. Domingos. Subsistem dúvidas quanto à origem do nome desta freguesia. São conhecidas as opiniões de Alexandre Costa, António Batalha Gouveia, Joaquim da Silveira e de Xavier Fernandes. Bonifácio Bernardo pensa dar a conhecer também a sua, em livro a publicar. A freguesia é habitada desde tempos imemoriais, como o provam as antas do Monte Nogueiro e da herdade de João Martins. Os vestígios de ocupação romana encontram-se um pouco por todo o lado.

Um testemunho valioso é um cipo com inscrição latina, incrustado na parede Sul da igreja matriz, até 1927-28. Não é por acaso que o Padre Diogo Pereira de Sotto Maior, autor do Tratado da Cidade de Portalegre (1619) escrevia que «ao longo da estrada até quase ao monte dos Fortios acharam algumas moedas antigas e assim umas peças». A capela de S. Sebastião data do início do século XVII, senão mesmo dos finais do século XVI, e foi remodelada no século XVIII. Situado nesta freguesia está o Santuário do Senhor Jesus dos Aflitos que, desde os meados do século XVIII, se afirmou ao longo do tempo como o principal centro de devoção e de peregrinação desta região. Possui um interessante conjunto de 52 ex-votos. A freguesia tem conhecido nos últimos anos uma grande expansão.

Bonifácio Bernardo, Senhor Jesus dos Aflitos I Actas da sua Confraria, Portalegre, Ed. do Autor, 1995; Senhor Jesus dos Aflitos. Origens (1713-1845), ed. Colibri, Lisboa, 2000; Aldeia dos Fortios.  
Memória histórica (no prelo).