Câmara Municipal de Portalegre

FREGUESIAS

Portalegre teve inicialmente sete freguesias urbanas: Santa Maria do Castelo, Santa Maria a Grande, São Tiago São Martinho, Madalena, São Vicente e São Lourenço. Com a criação da diocese e a construção da Sé, as freguesias de Santa Maria do Castelo, Santa Maria a Grande e São Vicente fundiram-se. As igrejas de  S. Martinho e Madalena foram demolidas no século XIX, subsistindo a de  S. Tiago, mas todas estas três freguesias foram extintas. Subsistem, assim, na  parte urbana, as freguesias de Sé e de São Lourenço, que a partir de 2013 foram agregadas, constituindo a União das Freguesias da Sé e São Lourenço.

 

 

FREGUESIA DE ALAGOA

Orago: S. Miguel. O nome pode ter resultado da ligação do artigo – a – à palavra «lagoa». A igreja paroquial data do século XVI mas sofreu importantes intervenções que a alteraram profundamente.
 
Alexandre de Carvalho Costa, Alagoa (Concelho de Portalegre). Aldeia pitoresca do Alto Alentejo, Braga, Separata de O Distrito de Braga, Volume IV, 1968

Maria de Lurdes Pinheiro Simão, O Falar da Povoação de Alagoa, Concelho de Portalegre, Coimbra, Edição da Junta Distrital de Portalegre, 1969

Consulte aqui o site da Junta de Freguesia de Alagoa 

Presidente – Vera Alexandra Narciso Caixeiro
Secretário – João Manuel Baptista Vivas
Tesoureiro – Manuel de Jesus Nicolau Marques

 

FREGUESIA DE ALEGRETE

Orago: S. João Baptista. Vila antiga, foi sede de concelho até 1855. no seu território existem vestígios de povoamento desde o paleolítico – jazida pré-histórica do Porto da Boga  e uma anta na Herdade da Falagueira. O castelo é presumivelmente do tempo de D. Diniz.

Tinha voto em Corte com assento no banco nº 10. Tinha o privilégio, confirmado até D. João V, de não dar soldados, com a obrigação de defenderam a praça dos castelhanos. Teve forais dados por D. Diniz (1319) e por D. Manuel I (1516). Ainda são visíveis diversos troços de muralhas. A igreja paroquial é do século XVI. A igreja da Misericórdia data do século XVII. A torre do relógio pertenceu à antiga câmara municipal, um edifício seiscentista. Outros edifícios religiosos: capela da Misericórdia, a capela de Vale de Cavalos, de recente construção.

João Manuel Marques Parente, Alegrete Histórico, Urbano e Rural, Lisboa, Edições Colibri, 2003.

Consulte aqui o site da Junta de Freguesia de Alegrete

Presidente - Luís Miguel Candeias Ricardo
Secretário - Marília João Pereira Baptista
Tesoureiro - Manuel Francisco Grilo Paixão

 

FREGUESIA DE FORTIOS

Orago: S. Domingos. Subsistem dúvidas quanto à origem do nome desta freguesia. São conhecidas as opiniões de Alexandre Costa, António Batalha Gouveia, Joaquim da Silveira e de Xavier Fernandes. Bonifácio Bernardo pensa dar a conhecer também a sua, em livro a publicar. A freguesia é habitada desde tempos imemoriais, como o provam as antas do Monte Nogueiro e da herdade de João Martins. Os vestígios de ocupação romana encontram-se um pouco por todo o lado.

Um testemunho valioso é um cipo com inscrição latina, incrustado na parede Sul da igreja matriz, até 1927-28. Não é por acaso que o Padre Diogo Pereira de Sotto Maior, autor do Tratado da Cidade de Portalegre (1619) escrevia que «ao longo da estrada até quase ao monte dos Fortios acharam algumas moedas antigas e assim umas peças». A capela de S. Sebastião data do início do século XVII, senão mesmo dos finais do século XVI, e foi remodelada no século XVIII. Situado nesta freguesia está o Santuário do Senhor Jesus dos Aflitos que, desde os meados do século XVIII, se afirmou ao longo do tempo como o principal centro de devoção e de peregrinação desta região. Possui um interessante conjunto de 52 ex-votos. A freguesia tem conhecido nos últimos anos uma grande expansão.

Bonifácio Bernardo, Senhor Jesus dos Aflitos I Actas da sua Confraria, Portalegre, Ed. do Autor, 1995; Senhor Jesus dos Aflitos. Origens (1713-1845), ed. Colibri, Lisboa, 2000; Aldeia dos Fortios. 

Memória histórica (no prelo).

 

Junta de Freguesia de Fortios
Morada: Largo da Boavista, n.º 22
7300 - Fortios
Telefone: +351 245 399 296
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Presidente – Manuel Joaquim Lacão Carvalho
Secretário – Julieta de Jesus Velez Rato Conchinha
Tesoureiro – Jorge David Pires Barradas

 

  alagoa alegrete fortios
 Alagoa  Alegrete  Fortios


FREGUESIA DE URRA

Orago: São Tiago. O nome deriva, provavelmente, do latim Horreum, que significa tulha, celeiro. Resultou da fusão das freguesias de Urra e de Caiola. Nesta freguesia encontram-se alguns dos mais antigos testemunhos da ocupação humana, concretamente exemplares da indústrias líticas (de pedra) na estação paleolítica do Monte da Faia  e da Tapada do Falcão, e as antas  de Entre-as-Ribeiras, do Campino da Abrunhosa, dos Fajardos e das Cabeceiras.

Também existem vestígios da presença romana, com cerâmicas à superfície. O padre Sotto Maior fala em terem sido encontradas moedas do tempo de Júlio César em S. Tiago de Caiola.

A igreja da S. Tiago de Caiola data do século XVI e sofreu posteriores remodelações

 

Junta de Freguesia de Urra
Morada: Bairro dos Apóstolos, Lote 32 A
7300 - 577 Urra
Telefone: +351 245 382 444
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Presidente – João Hermínio Henriques Janeiro
Secretário – Elsa Margarida Tavares Martins
Tesoureiro – Rui da Cruz Dias Basso

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE REGUENGO E SÃO JULIÃO

Reguengo
Orago: S. Gregório. «Reguengo» era a designação que tinham as terras que eram património do rei. É uma freguesia com abundante vegetação e água. Situada no caminho de Portalegre para Alegrete. A igreja paroquial data do século XVIII, com uma fachada simples, com portal de um arco de volta redonda.

Nesta freguesia se situa a Quinta da Lameira, com uma casa solarenga do século XVIII, edificada em 1783 por João da Fonseca Achaioli Coutinho. Possui uma fonte com azulejos azuis e brancos e dois tanques, um dos quais com três patos em mármore. A capela, contemporânea do edifício principal, tem um altar em talha do século XVIII e uma bela imagem de Nossa Senhora das Dores atribuída a Machado de Castro.

São Julião
Orago: É uma freguesia muito característica pela sua localização, na Serra, e pela sua dispersão, sendo constituída por vários lugares: Rabaça, Barrocão, Carvalhal, Casa Nova, Igreja, Alagoinha, Montinho, Monte do Meio, Monte de cima, Monte da Ribeira, Monte Sete, Moutinho e Teixinha.

Estas freguesias foram agregadas em 2013, constituindo a União das Freguesias de Reguengo e São Julião.

 

União das Freguesias de Reguengo e São Julião
Morada: Rua da Carreira
7300-404 Reguengo
Telefone: +351 245 208 954
Morada: Largo da Igreja, n.º 18
7300-459 São Julião
Telefone: +351 245 964 918
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Presidente – Bruno José Marchão Calha
Secretário – Ricardo Jorge Lourenço Reia
Tesoureiro – Vera Cristina Campos Barbas

  urra reguengo Sjuliao
 Urra  Reguengo  São Julião

 

 

UNIÃO DAS FREGUESIAS DE RIBEIRA DE NISA E CARREIRAS

Ribeira de Nisa
Orago: Nossa Senhora da Esperança. Tomou o nome do curso de água que nasce

Povoações: Antiqueiros, Monte Carvalho, Monte Caleiros e Vargem

Ruínas de um estabelecimento religioso do século XVI denominado «Provença». A igreja matriz é um edifício do século XVII, com uma alpendrada de quatro arcos. No adro adjacente existe um cruzeiro do século XVII.
Maria Tavares Transmontano, Subsídios para a Monografia da Ribeira de Nisa (Concelho de Portalegre), Portalegre, Edição da Autora, 1989

Carreiras
Orago: S. Sebastião. No singular, «carreira» significava «caminho de carro, estrada pouco larga». Talvez tenha sido essa a origem do nome. Se bem que não possua monumentos significativos, para além de vestígios dispersos pelas quintas e pelo campo, na sua maior parte medievais, merece destaque o conjunto da povoação, numa harmoniosa disposição que lhe valeu ao designação de «aldeia presépio».

Maria Tavares Transmontano, Subsídios para a Monografia da Freguesia de Carreiras (Concelho de Portalegre), Viseu, Edição da Junta Distrital e Portalegre, 1976

Estas freguesias foram agregadas em 2013, constituindo a União das Freguesias de Ribeira de Nisa e Carreiras.

 

União das Freguesias de Ribeira de Nisa e Carreiras
Morada: Rua Professor Paulo Castelhano, n.º 5A
Monte Carvalho
7300-430 Ribeira de Nisa
Telefone: +351 245 341 454

Morada: Largo do Rossio n.º 3
7300-355 Carreiras
Telefone: +351 245 907 181
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Presidente – Francisco Manuel Frutuoso Carriço
Secretário – Márcia Sofia Milho Andrade
Tesoureiro – José Miguel Garção Esperancinha

  carreiras ribeiranisa
 Carreiras Ribeira de Nisa Carreiras



UNIÃO DAS FREGUESIAS DA SÉ E SÃO LOURENÇO
 

A origem das duas Freguesias Urbanas, Sé e São Lourenço, remonta ao ano de 1550, quando Portalegre foi elevada à categoria de Cidade Episcopal.

Antes dessa data, na então Vila Portalegrense, existiam sete paróquias: Santa Maria do Castelo, Santa Maria a Grande, S. Vicente, Santa Maria Madalena, S. Martinho, S. Tiago e S. Lourenço.

Com a Bula Papal de Paulo III, de 21 de Agosto de 1549, alcançada pelo rei D. João III, ergueu-se a Sede da nova Diocese, reunindo-se as condições para que, na Igreja sede episcopal, se criasse a paróquia correspondente. Surgiu assim, a Paróquia da Sé, como comunidade paroquial independente.

Para designar os povoamentos que constituíam a rede paroquial, normalmente constituídos à volta das igrejas, usava-se o termo “paróquia”, termo que foi alterado para “freguesia” pela lei n.º 621, a 23 de Junho de 1916.

As Freguesias de Santa Maria do Castelo, Santa Maria a Grande e São Vicente unificaram-se, sendo posteriormente extintas. As Igrejas de S. Martinho e Sta. Madalena foram demolidas no séc. XIX, subsistindo a de S. Tiago. Mantiveram-se, na parte urbana, a Freguesia da Sé e a Freguesia de São Lourenço.

Já nos finais do século XX, foram publicadas as ordenações heráldicas dos Brasões, Bandeiras e Selos Brancos destas duas Freguesias.

Até ao ano de 1999, todos os eleitores da Freguesia da Sé encontravam-se inscritos num mesmo posto de recenseamento – o posto “Sede” – e as mesas de voto estavam distribuídas unicamente pela zona histórica da cidade, dentro da área da Freguesia. Nesse ano, durante o mês de Abril, foi criado o posto “A” no Bairro dos Assentos e simultaneamente, aberta uma delegação naquele mesmo bairro, normalmente designada por "Extensão".

No ano de 2001, foi criado um novo posto. Representado pela letra “B”, engloba os moradores do Bairro do Atalaião. A 28 de janeiro de 2013, é publicada a Lei n.º 11-A que dá cumprimento à obrigação de reorganização administrativa do território das freguesias, constante da Lei n.º 22/2012, de 30 de maio.

Deste modo, "nasce" uma nova Freguesia, resultante da agregação da Freguesia da Sé e Freguesia de São Lourenço, a qual se denomina União das Freguesias da Sé e São Lourenço.

Consulte aqui o site da União das Freguesias da Sé e São Lourenço  

Presidente – Artur Jorge Coelho Correia
Secretário – Joaquim José Alves Rebelo  
Tesoureiro – Manuel da Conceição Braga
Vogal – Maria da Conceição Esteves Curado de Matos Jacob
Vogal – Palmira Maria Ramos Mão de Ferro

  se slourenco
 Sé São Lourenço

 

 

 

 

 

 

ブランドコピー スーパーコピーブランド コピーブランド ブランドバッグコピー ブランドコピー時計 ブランドコピー財布