Câmara Municipal de Portalegre

SMAT - Águas

Os Serviços Municipalizados de Portalegre, como estrutura municipal, hoje têm como missão, assegurar a distribuição domiciliária de água, o serviço de transportes urbanos de passageiros, a gestão do estacionamento superficial e subterrâneo na cidade de Portalegre e a responsabilidade da exploração dos transportes não regulares de responsabilidade municipal.

Importa referir que os Serviços Municipalizados de Portalegre, desde sempre, colocam acima de tudo, a qualidade dos serviços que prestam à população porque o cliente/utilizador é a razão da sua existência.

 

PORTALEGRE SIMPLIFICA

A pensar em si, criámos uma nova forma de interagir com os Serviços Municipalizados de Águas e Transportes da Câmara Municipal de Portalegre.

Se é titular de um contrato de água, clique aqui, para aceder a este serviço.

 

 

"Livro de Reclamações online"

Com a publicação do Decreto-lei n.º 74/2017 de 30 de Junho ,que implementa mais um pacote de medidas do Simplex + 2016 , disponibiliza o "Livro de Reclamações online" aos consumidores dos serviços essenciais.

 

 

Os Serviços Municipalizados de Portalegre, como estrutura municipal, hoje têm como missão, assegurar a distribuição domiciliária de água, o serviço de transportes urbanos de passageiros, a gestão do estacionamento superficial e subterrâneo na cidade de Portalegre e a responsabilidade da exploração dos transportes não regulares de responsabilidade municipal.

Importa referir que os Serviços Municipalizados de Portalegre, desde sempre, colocam acima de tudo, a qualidade dos serviços que prestam à população porque o cliente/utilizador é a razão da sua existência.

 

PORTALEGRE SIMPLIFICA

A pensar em si, criámos uma nova forma de interagir com os Serviços Municipalizados de Águas e Transportes da Câmara Municipal de Portalegre.

Se é titular de um contrato de água, clique aqui, para aceder a este serviço.

 

 

"Livro de Reclamações online"

Com a publicação do Decreto-lei n.º 74/2017 de 30 de Junho ,que implementa mais um pacote de medidas do Simplex + 2016 , disponibiliza o "Livro de Reclamações online" aos consumidores dos serviços essenciais.

 

 

Caracterização Geral do Sistema de Abastecimento

O sistema de abastecimento de água de Portalegre é constituído por dezanove sistemas “em baixa”. Estes sistemas, sendo abastecidos pela AdNA, são essencialmente constituídos por reservatórios, estações elevatórias, adutoras e redes de distribuição. Os sistemas incluem ainda algumas captações que se encontram fora de serviço.

 

INFRA-ESTRUTURAS

Reservatórios

Grande depósito, normalmente de estrutura em betão, onde se armazena um grande volume de água, usado como reserva, regulação de caudais, pressões de abastecimento e controlo dos recursos hídricos de emergência. Existem reservatórios enterrados, semienterrados e elevados.

O sistema de abastecimento em baixa ao concelho de Portalegre desenvolve-se a partir dos reservatórios de distribuição, os quais se apresentam no quadro seguinte:

reservatorios smat

Estações Elevatórias

É um sistema constituído por um reservatório e por grupos eletrobomba que possibilitam o aumento da energia da água (elevação da cota piezométrica) transportada ou distribuída nos serviços de abastecimento público.

Grupos Eletrobomba

Máquina constituída por dois elementos distintos: o motor e a bomba. O motor transforma a energia elétrica fornecida pela rede elétrica, em energia mecânica de rotação do veio do motor que é transmitida, por sua vez, ao impulsor da bomba. A rotação do impulsor produz um efeito de sucção à água da tubagem de entrada da bomba e de compressão à água da tubagem de saída, provocando o aumento da pressão do escoamento. Este aumento de pressão traduz-se num aumento da energia do escoamento cujo objetivo é possibilitar o transporte/abastecimento de água a cotas mais elevadas.

 

 

Distribuição de Água

Os SMAT são responsáveis pelo abastecimento domiciliário, no concelho de Portalegre, a uma população residente de 24.230 habitantes e mantém relações contratuais com cerca de 14 000 clientes.

A área geográfica do concelho, ao nível do controlo da qualidade da água, encontra-se dividida em 7 zonas de abastecimento:

  • Zona I – Cidade de Portalegre/Olhos de Água/Urra/Reguengo: como o próprio nome indica abrange as freguesias de Sé, S. Lourenço, Carreiras, Ribeira de Nisa, Fortios, Alagoa, Urra e Reguengo. A água que abastece esta zona tem origem na albufeira da barragem da Apartadura e nas captações subterrâneas de Olhos de Água.
  • Zona II – Alegrete: é constituída por parte da freguesia de Alegrete, nomeadamente a vila de Alegrete e arredores. A água aqui distribuída tem origem na captação subterrânea de Montarecos.
  • Zona III – Vale de Cavalos: é constituída basicamente pela localidade de Vale de Cavalos e a água tem origem na captação subterrânea de Montarecos e ainda na captação de Besteiros.
  • Zona IV – Besteiros: contempla a localidade de Besteiros e a água provém exclusivamente da captação subterrânea de Besteiros.
  • Zona V– S. Julião Montinho/Igreja: a água para esta zona de abastecimento provém do Furo do Montinho.
  • Zona VI– S. Julião Rabaça: a origem de água é a Nascente da Rabaça.
  • Zona VII – Monte Sete: a água aqui distribuída tem origem no Furo de Monte Sete.

Em qualquer destas zonas os SMAT recebem a água fornecida pela empresa Águas do Norte Alentejano S.A. e distribuem-na à população.

 

Programa de renovação da rede

A totalidade da água consumida no município de Portalegre é fornecida pelo sistema “em alta”.

O nível de abastecimento no município de Portalegre é de 98%. Os 2% não servidos correspondem a efetivos populacionais localizados em zonas rurais serranas afastadas das localidades e que dispõem de furos e poços privados, pelo que não demonstram interesse em receber água proveniente da rede pública.

Os SMAT têm em curso, desde 2001, o programa de renovação da rede de distribuição de água ao concelho de Portalegre que visa melhorar a eficiência do sistema de distribuição de água reforçando a consistência, qualidade, segurança e fiabilidade do serviço prestado aos seus clientes diretos.

As infraestruturas da rede de abastecimento “em baixa” foram alvo de uma forte renovação e expansão no período 2001 a 2014, no âmbito do Programa POLIS de Portalegre e de uma política de remodelação da rede em baixa, em todo o concelho de 123 km de rede e de um investimento de 5 228 854,05 €, em especial ao nível de adutoras e da própria rede de distribuição. Nestas intervenções foi privilegiada a utilização de polietileno como material das tubagens de forma a tentar minimizar as perdas.

Apesar deste esforço subsistem ainda algumas zonas com tubagens antigas em fibrocimento tanto na cidade de Portalegre como nas freguesias rurais. Neste momento estima-se que, em termos da rede de abastecimento, cerca de um terço da sua extensão seja constituída por condutas de fibrocimento.

Na fase seguinte será necessário analisar, entre outros aspetos, se as capacidades de armazenamento são suficientes para garantir a satisfação das necessidades de acordo com a legislação vigente.

 

Qualidade da água

O controlo da qualidade da água para consumo humano rege-se pelo disposto no DL n.º 306/2007 de 27 de Agosto.

Em cumprimento do disposto no referido diploma os SMAT submete anualmente à aprovação da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) o seu Programa de Controlo da Qualidade da Água (PCQA).

O PCQA inclui, para além da caracterização das Zonas de Abastecimento referidas no ponto “Distribuição de Água”, a calendarização das análises de verificação de conformidade e os respetivos pontos de amostragem.

De modo a obter uma adequada cobertura da rede de distribuição são escolhidos anualmente aproximadamente uma centena de pontos de amostragem, distribuídos por todo o Concelho. A amostragem é feita com periodicidade semanal sendo a colheita das amostras e as análises realizadas por laboratório acreditado.

Os resultados das análises realizadas são disponibilizados trimestralmente através de publicação na imprensa regional e na secção “Resultados das Análises” deste site.

 

Ano de 2017

 

 

 

Contratos

O fornecimento de água obedece em todos os casos às disposições do Regulamento de Abastecimento de Água ao Município de Portalegre, publicado no Diário da República, II Série n.º 55 Aviso n.º 4292, de 16/03/2012.

Para celebrar contrato de água, deve dirigir-se ao Serviço de Atendimento do Município de Portalegre, na rua Guilherme Gomes Fernandes, nº. 28.

 

Elementos para celebração do contrato

No ato da celebração do contrato de abastecimento de água, são necessários os seguintes elementos:

  1. Identificação
    • Bilhete de Identidade ou Cartão do Cidadão, Passaporte ou Carta de Condução;
    • Número de Identificação Fiscal, caso ainda não seja portador do cartão do cidadão.
  2. Assinatura do ClienteProva de Legitimidade de Ocupante
    • O contrato de água deve ser assinado pelo cliente e na falta deste por um representante ou procurador. No caso de contrato em nome de pessoa coletiva é necessário apresentar carimbo da empresa.
  3. Prova de legitimidade de Ocupante

Apresentação de um dos seguintes documentos que comprove que o Cliente é o legítimo titular do local a abastecer:

  • Contrato de arrendamento, Escritura de arrendamento, Contrato de comodato, Caderneta predial, Escritura de compra e venda, Contrato de promessa de compra e venda, Escritura de trespasse ou Declaração de empréstimo.

 

Leitura do Contador

Caso se trate de uma de mudança de nome, deve ser o titular do contrato em vigor a solicitar a sua rescisão, tendo para o efeito que apresentar a leitura atual.

 

Despesas do Contrato

Os valores inerentes à celebração do contrato de água são pagos no acto da celebração, através de Fatura

  • Instalação com obrigatoriedade de vistoria ………… 55,34 €
  • Instalação sem obrigatoriedade de vistoria ………… 41,82 €
  • Averbamento de contrato * …………………………… Isento

* O contrato só poderá ser averbado por morte do contratante em nome do cônjuge sobrevivo, ou de legítimo herdeiro, mediante apresentação de documento comprovativo.

NOTA: Após celebração do contrato será contactado(a) pelos serviços, para agendar a deslocação dos nossos técnicos ao local. O contrato considera-se válido a partir da data em que for instalado o contador. Para facilitar o processo de celebração do contrato, explicamos-lhe de seguida os passos necessários:

    1. Deve ter presente os elementos para a celebração de contrato de abastecimento de água.
    2. Documentos necessários à celebração de contrato (cópia do BI ou CC, documento que comprove a legitimidade de ocupação do local; no caso de entidades coletivas, ter em consideração o documento comprovativo para legitimar a prática do ato). Se optar pela modalidade de pagamento através de Transferência Bancária, deverá apresentar também a respetiva autorização de débito, devidamente preenchido e autenticada por uma das seguintes entidades bancárias, com quem os SMAT têm protocolos:
      • Banco Espírito Santo
      • Banco Português de Investimento (BPI)
      • Caixa Geral de Depósitos (CGD)
      • Banco Popular
      • Banif
      • Caixa de Crédito Agrícola Mutuo
      • Banco Totta e Açores
      • Montepio Geral
      • Barclays

 

Actualização do Contrato

A atualização dos dados dos clientes é importante para o desenvolvimento de um diálogo eficaz e personalizado.

Manter os seus dados atualizados, nomeadamente:

  • o titular do contrato
  • o número de contribuinte
  • o número de elementos do agregado familiar e tipo de utilização (habitação, comércio, etc.)
  • contatos (telefone, fax, e-mail)
  • melhor horário para contacto
  • morada de receção da faturação da água e restante correspondência.

Agradecemos a sua colaboração e colocamos à disposição os nossos serviços, podendo contactar-nos através de E-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , da Linha de Verde 800 200 150, por Carta (Rua Guilherme Gomes Fernandes, nº 27, 7300-186 Portalegre) ou Fax 245 307 475

 

Rescisão do Contrato

O pedido deverá ser apresentado com antecedência mínima de 5 dias úteis, sobre a data da pretendida rescisão contratual.

Pode-se rescindir o contrato no Serviço de Atendimento do Município, sendo necessária a indicação da leitura do contador, o nome e o código de Cliente.

No caso dos contratos de água em nome de pessoas coletivas, sobre a assinatura (pelo representante legal) do pedido de rescisão, terá que ser aposto o respectivo carimbo.

Nota: No caso de mudança de residência, o Cliente que não proceda à rescisão do contrato, continuará responsável pela faturação respeitante a esse local.

 

Suspensão do Fornecimento de Água

Os Serviços Municipalizados de Portalegre tem como objetivo primordial fornecerem água em quantidade e qualidade adequadas às necessidades dos seus Clientes. No entanto, poderão proceder à suspensão do fornecimento devido a:

  1. Débitos em atraso relativos à falta de pagamento da factura da água e/ou de serviços prestados.
  2. Motivos técnicos:
    • Avarias ou obras na Rede Geral de Distribuição;
    • Dificuldades no acesso ao local para leitura, verificação ou substituição do contador;
    • Contador danificado ou suspeito de fraude;
    • Alteração do projeto inicial das canalizações que viabilizem o fornecimento domiciliário de água, sem aprovação prévia dos Serviços Municipalizados.

Para se informar sobre o motivo da interrupção do fornecimento de água contacte-nos através da Linha Verde 800 200 150 ou da Linha telefónica 245307400/401.

As despesas de interrupção e restabelecimento do fornecimento de água serão da responsabilidade do Cliente, sempre que as causas que determinaram a suspensão lhe sejam atribuídas.

Nota - Os Serviços Municipalizados não assumem a responsabilidade de prejuízos resultantes de:

  • Perturbações na Rede Geral de Distribuição;
  • Interrupção do fornecimento devido a avarias ou a obras que exijam, justificadamente, a suspensão do abastecimento;
  • Outros casos fortuitos ou de força maior.

Perante estas situações certifique-se de que as torneiras se encontram devidamente fechadas e que os aparelhos que funcionam com água (máquinas de lavar roupa e loiça) estão desligados.

 

 

Contador da água

Após a celebração do contrato de fornecimento, os Serviços Municipalizados procedem à colocação do contador e, no caso deste já se encontrar instalado, procede-se à respetiva substituição.

 

Leitura do Contador

É com base nas leituras do contador, mensalmente realizadas pelos Serviços Municipalizados ou fornecidas pelo Cliente que são determinados os volumes de água consumida e passíveis de faturação.

No caso de o contador não ser lido pelos Serviços há mais de 4 meses, é enviado ao cliente ofício a dar conhecimento do dia e hora que será lida a leitura do contador, alertando para a necessidade da instalação reunir as condições necessárias.

Em complemento, pode comunicar a leitura do contador, no prazo indicado na fatura da Água, através do SMATnet ou da Linha Direta 245 307428, na porta, sendo necessário, para o efeito, indicar também o código de Cliente.

Nota: A data prevista para a leitura mensal do contador, é indicada na fatura da água anterior à sua realização. As leituras comunicadas pelos Clientes não substituem as leituras efetuadas pelos SMAT.

 

Como ler o Contador

Os SMAT dispõem de diferentes tipos de contadores instalados nas residências dos Clientes. No entanto, aquando da leitura do contador, apenas devem ser considerados os números com o fundo de cor branca ou preta.

Substituição do Contador

No sentido de dar cumprimento à legislação em vigor e de garantir a fiabilidade de medição do contador, os SMAT podem proceder à sua substituição sempre que considere necessário, nomeadamente, devido à antiguidade de instalação do aparelho.

Sempre que detetar qualquer anomalia no funcionamento do contador informe-nos com a maior brevidade possível, de forma a ser realizada a verificação do mesmo, podendo contactar-nos através do SMATnet, da Linha de Direta 245 307428), por Carta (Rua Guilherme Gomes Fernandes nº 28 - 7300-186 Portalegre) ou Fax (245 307 475).

 

Verificação do Contador

A pedido do Cliente, os SMAT poderão proceder à verificação das condições do fornecimento no domicílio e detetar a existência de eventuais fugas de água na canalização domiciliária, comunicando, por escrito, o resultado obtido.

Se não concordar com o resultado poderá, ainda, requerer:

  • Uma verificação oficinal a realizar na empresa Resopre. O Cliente, ou um seu representante, poderá assistir a esta verificação.

Os encargos resultantes serão suportados pelo Cliente quando se verifique que o valor registado, pelo contador, não apresentava erros superiores aos máximos previstos no Regulamento do Controlo Metrológico dos Contadores para Água Potável Fria e legislação complementar.

  • Também poderá pedir uma verificação extraordinária.

 

Verificação das condições de abastecimento

Em caso de dúvidas sobre o correto funcionamento do contador poderá, com procedimentos muito simples, avaliar as condições de fornecimento:

  • Com a torneira de segurança aberta fechar todas as torneiras do seu fogo ou fração independente. Se o ponteiro ou rolo de cor vermelha (litros e decilitros) se mover, significa que há perda de água através das torneiras, do autoclismo ou de uma rotura não visível;
  • Não se verificando perda de água, encher um recipiente de capacidade conhecida (graduada se possível) e verificar se o ponteiro ou rolo marcou o volume de água correspondente à sua capacidade;
  • Uma diferença máxima de 5%, para mais ou para menos, entre o volume de água considerado e o registo do contador, está dentro da tolerância.

 

Faturação

Fatura da Água

A fatura da água é o documento resultante da faturação dos consumos apurados entre duas leituras válidas, incluindo ainda os valores relativos a tarifa de resíduos sólidos e tarifa de saneamento.

A fatura da Água inclui também a Conta Cliente, a qual engloba os documentos por regularizar (faturas, juros de mora, notas de crédito) à data da sua emissão.

São também transmitidas diversas mensagens úteis e práticas, alertando, por exemplo, para a ausência de leitura do contador, ou para a não consideração da leitura comunicada pelo cliente, entre outras.

A fatura de água é emitida mensalmente.

 

Estimativa de Consumo

No caso de ausência de leitura, o consumo é faturado por estimativa, com base no consumo médio apurado entre as duas últimas leituras reais efetuadas pela Entidade Gestora. 

Os valores faturados por estimativa serão deduzidos, sempre que for efetuada uma leitura do contador.

 

Leituras do Contador

Os contadores são lidos mensalmente pelos Serviços Municipalizados

Para assegurar a realização da leitura, o Cliente deve sempre facultar o acesso ao local do contador.

No caso do contador não ser lido pelos Serviços Municipalizados há mais de 4 meses, agradece-se contacto através de E-mail (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ) ou da Linha Direta (245 307428) para marcar uma leitura gratuita.

Em complemento, também pode comunicar a leitura do contador, no prazo indicado na fatura da água, através do SMATnet ou da Linha Verde.

 

Modalidades de Pagamento

Os SMAT têm ao seu dispor diversas formas de pagamento da sua Fatura da Água.

1. Transferência Bancária

    • Os SMAT não cobram qualquer valor ao aderir a esta forma de pagamento;
    • A fatura da água é enviada com antecedência suficiente face à data em que é debitada a conta bancária;
    • Evita perdas de tempo, deslocações desnecessárias e eventuais fechos de água causados por esquecimento do prazo de pagamento.

Pode aderir, enviando via CTT ou entregando no Serviço de Atendimento, a respetiva autorização de débito (solicitada na agência bancária), devidamente preenchida e autenticada pela entidade bancária.

2. Multibanco - Bastando selecionar a opção "Pagamento de serviços" e preencher, de acordo com os dados referidos na Fatura da Água, os seguintes campos:

ENTIDADE _ _ _

REFERÊNCIA _ _ _ _ _ _ _ _ _

MONTANTE _ _ _ _ _ _ _ _ _

ATENÇÃO: Conserve o seu talão, pois este constitui a prova de pagamento.

3. Edifício Sede do Município de Portalegre

4. Juntas de Freguesia

5. Centro Popular de S. Cristóvão – Av. Vitorino Nemésio, nº 11

6. Associação Comercial - Rua Luís de Camões n.º39

7. Cheque (via CTT) - Junte o talão da Fatura da Água ao cheque e envie endossado aos Serviços Municipalizados da Câmara Municipal de Portalegre, ou indique o seu código de Cliente e o(s) número(s) da(s) Fatura(s) da Água a liquidar.

ATENÇÃO: Uma vez ultrapassado o prazo de pagamento da Fatura da Água e após o envio de aviso específico, os SMAT terão de considerar a suspensão do fornecimento até à regularização da situação. Neste caso a liquidação da Fatura da Água só poderá ser efetuada presencialmente no edifício sede do Município de Portalegre.

 

Tarifários

Estrutura tarifária

1. Pela prestação do serviço de abastecimento de água são faturadas aos utilizadores:

a) A tarifa fixa de abastecimento de água, devida em função do intervalo temporal objeto de faturação e expressa em euros por cada trinta dias;

b) A tarifa variável de abastecimento de água, devida em função do volume de água fornecido durante o período objeto de faturação, sendo diferenciada de forma progressiva de acordo com escalões de consumo, expressos em m3 de água por cada trinta dias:

• Utilizadores Domésticos:

1.º Escalão:   0 a 5 m3;
2.º Escalão:   6 a 15 m3;
3.º Escalão: 16 a 25 m3;
4.º Escalão:> 25 m3.

• Utilizadores Não-domésticos:

     Comercial, Industrial e Obras:

  • 1.º Escalão:  0 a  50 m3;
  • 2.º Escalão: 51 a 350 m3;
  • 3.º Escalão: > 350 m3

• Estado

Escalão único;

• Garagens Particulares

Escalão único;

• Instituições Culturais, Desportivas, de Beneficência

Escalão único;

2. Para além das tarifas de fornecimento de água referidas, são cobradas pela Entidade Gestora tarifas em contrapartida de serviços auxiliares, designadamente

a) Execução de ramais de ligação;

b) Suspensão e reinício da ligação do serviço por incumprimento do utilizador;

c) Suspensão e reinício da ligação do serviço a pedido do utilizador;

d) Verificação extraordinária de contador a pedido do utilizador, salvo quando se comprove a respetiva avaria por motivo não imputável ao utilizador;

e) Fornecimento de água em autotanques, salvo quando justificado por interrupções de fornecimento, designadamente em situações em que esteja em risco a saúde pública;

f) Outros serviços a pedido do utilizador, nomeadamente, reparações no sistema predial ou domiciliário de abastecimento.

Nos casos em que haja emissão do aviso de suspensão do serviço por incumprimento do utilizador e este proceda ao pagamento dos valores em dívida antes que a mesma ocorra, não há lugar à cobrança da tarifa prevista na alínea b) do número anterior.

 

TARIFÁRIO

 

PREÇOS DE VENDA DE ÁGUA E QUOTA DE SERVIÇO – 2016

 

ÁGUA

 

UTILIZADORES DOMÉSTICOS

Tarifa Variável

0 a 5 m³

0,86

6 a 15 m³

1,15

16 a 25 m³

1,90

>25 m³

3,06

UTILIZADORES NÃO DOMÉSTICOS

Consumos Industriais e Comerciais

 

0 a 50 m³

1,10

51 a 350 m³

1,35

>350 m³

1,50

Consumos do Estados

 

Escalão Único

2,05

Consumos - Garagens

 

Escalão Único

1,40

Instituições Culturais, Desportivas e de Beneficência

 

Escalão Único

1,10

Autarquias e C.M.P

 

Escalão Único

1,10

 

 

 

QUOTA DE SERVIÇO

 

Contadores Simples

15 mm

4,65

20 mm

4,65

25 mm

9,67

40 mm

15,78

50 mm

26,99

Superior a 80 mm

35,86

Contadores Compostos

50 mm

131,81

80 mm

172,21

 

 

 

  1. 2.QUADRO A – EXECUÇÃO DE RAMAL DOMICILIÁRIO

 

 

Ramais 25mm

18,70 €/ m

Ramais 32mm

24,09 €/ m

Ramais 50mm

30,34 €/ m

Ramais 63mm

40,25 €/ m

 *Na extensão que exceder os 20 metros (ramais até 20metros serão executados sem custos para o utilizador).

 

 

QUADRO B - REPARAÇÕES NO SISTEMA PÚBLICO DE DISTRIBUIÇÃO OU RAMAIS DE LIGAÇÃO RESULTANTES DE DANOS DAUSADOSPOR PESSOAS ALHEIAS À ENTIDADE GESTORA

 

 

[1 - 5m]

[6 - 10m]

[11 - 20m]

> 20 m

Valor (€/m)

Valor(€/m)

Valor (€/m)

Valor (€/m)

ø 25 a 50

57,79 €

52,17 €

46,10 €

41,43 €

ø 60 a 63

93,34 €

86,61 €

82,11 €

74,36 €

ø 75 a 90

109,86 €

104,34 €

98,74€

92,04 €

ø 110 a 160

150,77 €

138,72 €

123,84 €

116,96 €

ø 200

441,60 €

418,24 €

396,10€

371,33€

ø 250

546,99 €

511,47 €

488,22 €

464,94 €

ø 315

697,880 €

640,16 €

593,91 €

571,35 €

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros Serviços

 

Pedido de orçamentos de ramais domiciliários

40,00€

Execução de ramais de ligação

Conforme Quadro A anexa

Colocação/ligação de contador – contrato novo

34,00€

Transferência de titularidade de contrato

20,00€

Averbamentos do Contrato*

Isento

Interrupção do abastecimento de agua a pedido do utilizador

20,00€

Restabelecimento de ligação

29,10€

Reparação no sistema público de distribuição ou nos ramais de ligação resultantes de danos causados por pessoas alheias à Entidade Gestora

Conforme Quadro B anexa

Substituição de válvulas a montante e a jusante do contador, a pedido do utilizador ou por motivo imputável ao mesmo.

20,00€

Pedido de verificação extraordinária de contador por parte do utilizador (salvo quando se comprove a respetiva avaria por motivo não imputável ao utilizador)

  1. Acresce o valor do orçamento do laboratório designado pelo IPQ.

 

  1. a)12,54€

Inscrição de técnicos

24,38

 


O contrato só poderá ser averbado por morte do contratante em nome do cônjuge sobrevivo, ou do legítimo herdeiro, mediante apresentação de documento comprovativo

 

Nota: Todos os serviços são incidentes do valor do IVA à taxa legal.

 

 

SANEAMENTO

 

Tarifa de Utilização

Parte Variável €/m³

Domésticos

0,81

Comercio, Industria e Estado

0,85

Instituições

0,48

Garagens Particulares

0,81

 

 

Consumidores sem contrato de fornecimento de água – tarifa de utilização calculada com base na capitação média de água do concelho de Portalegre reportada ao ano anterior (--L/hab.dia)

TARIFA (€/m3 de água – valor mensal)

Doméstico

0,81

       

Consumidores com ou sem contrato de fornecimento de água – com dispositivo de medição de caudais

TARIFA (€/m3 de efluente industrial)

Indústria

0,87

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tarifa de Ligação

0,758 €/m2 de área bruta de construção

 

 

Ramal de Ligação

 

Execução de colector de esgoto doméstico/pluvial com diâmetro de 200mm

50,00 €/m linear + 300,00 € (caixa de visita)

 
 

Execução de colector de esgoto pluvial com diâmetro de 315mm

100,00 €/m linear + 400,00 € (caixa de visita)

 

Execução de colector de esgoto pluvial com diâmetro de 400mm

150,00 €/m linear + 450,00 € (caixa de visita)

 

Reposição de pavimento em calçada

17,50 €/m2

 

Reposição de pavimento em betuminoso

20,00 €/m2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Limpeza de Fossas Sépticas

 

60,50 €/hora

 

 

RESÍDUOS SÓLIDOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recolha de Resíduos volumosos

TARIFA:

Até 1 m³ de volume

Gratuito

 

Mais de 1 m³

7,50€/carrada

 

 

 

 

 

Consulte aqui os tarifários de 2015.

 

     

Assistência Local

O que fazer em caso de...

 

FALTA DE ÁGUA

Ao receber um aviso de interrupção do abastecimento de água na sua zona de residência, lembre-se de:

• Fazer um cálculo da quantidade de água necessária para o período considerado.

Se não tiver conhecimento prévio, logo que se aperceba de que há falta de água;

• Verifique se todas as torneiras dentro de casa estão devidamente fechadas;

• Desligue os aparelhos elétricos que funcionam com água (máquinas de lavar roupa e louça, termoacumuladores).

Para se informar sobre a hora aproximada da normalização do abastecimento ligue para a Linha Verde (800203739).

Caso verifique que não existe interrupção no abastecimento na sua zona deve:

• Averiguar se a interrupção do abastecimento abrange todo o prédio ou somente o domicílio;

• Confirmar se as torneiras de segurança, junto ao contador, estão em ponto aberto (para abrir devem manobrar-se no sentido inverso dos ponteiros do relógio).

Após estas medidas, se continuar sem água, contacte-nos através da Linha Verde, para se resolver a situação com a maior brevidade possível.

 

PROBLEMAS DE PRESSÃO

Se notar que a pressão da água é insuficiente ou inconstante, contacte-nos através da Linha Verde, para se detetar a anomalia com a maior brevidade possível.

 

FUGA DE ÁGUA

Tenha em atenção que uma torneira ou autoclismo mal vedados provocam desperdícios de água significativos, perdendo em termos médios:

2 m³ por mês | gota a gota;

10 m³ por mês | com um fio de água de 2 mm;

100 m³ por mês | com um fio de água de 6 mm.

Os desperdícios de água representam custos acrescidos para o Cliente, pelo que quando suspeitar que há perdas de água:

• Feche todas as torneiras da sua casa, mantendo a torneira de segurança aberta;

• Se o ponteiro ou rolo de cor vermelha (litros e decilitros) se mover, é porque há perda de água através das torneiras, do autoclismo ou de rotura não visível.

Quando detetar uma rotura visível ou fuga de água nas canalizações e torneiras, feche, de imediato, a torneira de segurança.

Se não conseguir por este meio interromper a fuga de água contacte os SMAT através da Linha Verde ou 245307400/401.

Sempre que uma reparação exija a manobra da torneira de escada ou da torneira de suspensão do ramal é necessário contactar-nos através da Linha Verde, pois os SMAT são a única entidade com competência legal para a realizar.

 

SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA LOCAL

Os SMAT executam um conjunto diversificado de serviços na área de assistência domiciliária, sendo os custos dos mesmos faturados à posteriori e enviada a respetiva fatura via CTT.

Serviços prestados pelos SMAT:

• Reparação das canalizações junto ao contador (unicamente na caixa do contador);

• Reparação ou substituição de torneiras de segurança;

• Substituição da torneira de escada (olho de boi);

• Deteção de roturas em canalizações prediais;

• Verificação das condições de abastecimento (medição da pressão, etc).

Estes serviços são realizados por técnicos qualificados que lhe garantem a resolução dos seus problemas de forma rápida e eficaz.

Para solicitar os nossos serviços ou pedir informações contacte-nos através do SMATnet ou da Linha Verde 800 203 739.

- Comunicação de roturas na via pública (link para novo separador c o conteúdo abaixo)

Sempre que detetar alguma rotura na via pública agradecemos que nos comunique a respetiva localização. Em alternativa, também pode utilizar a linha 96 9051092.

Para esclarecer eventuais dúvidas sobre responsabilidade de reparação consulte o capítulo Abastecimento Predial, ou o Gabinete Técnico dos SMAT.

 

Ramais de ligação

Os esquemas apresentados têm como finalidade informar os projetistas, empreiteiros, canalizadores e público em geral, sobre a forma como deve ser criada a caixa do contador para os diferentes calibres de contadores, como se pode verificar pelas dimensões apresentadas na tabela:

Dimensão Contadores

Calibre

Dimensões

15 mm/3m3

165 mm

20 mm/3m3

165 mm

20 mm/5m3

188 mm

25 mm/7m3

260 mm

ramal ligacao

 

Abastecimento predial

ABASTECIMENTO PREDIAL - RESPONSABILIDADES

A caracterização técnica das canalizações e dispositivos referentes ao fornecimento de água, bem como a responsabilidade de conservação e manutenção atribuída discrimina-se da seguinte forma:

1. Responsabilidade do Proprietário/Inquilino

a) Rede Predial de Distribuição Domiciliária

Canalizações e dispositivos de utilização (ex. torneiras e autoclismo) situados no interior do fogo ou fração independente.

b) Contador

Contador instalado em Caixa;

Contador instalado em Bateria Contador;

O local onde o contador ou a bateria de contadores se encontram instalados inclui também a respetiva canalização de ligação, assim como as válvulas de segurança (válvula de olho de boi a montante do contador e válvula de passagem a jusante do contador).

c) Ramal Domiciliário

Canalização existente entre a coluna do prédio e o fogo/fração independente ou entre a válvula de corte de ramal e a habitação unifamiliar.

d) Válvulas

Válvula de olho-de-boi - válvula que regula o fornecimento de água ao fogo ou fração independente, que deve estar acessível e em condições de ser manobrada pelos SMAT;

Válvula de passagem - válvula que regula o fornecimento de água ao fogo ou fração independente, a ser operada pelo cliente.

e) Coluna

Coluna do Prédio - abastece os vários fogos ou frações independentes;

Coluna Individual - abastece um só fogo ou fração independente;

Canalização que acompanha o desenvolvimento vertical ou horizontal de um prédio e onde se iniciam os ramais domiciliários.

ATENÇÃO

As canalizações e os dispositivos de utilização da rede predial de distribuição domiciliária estão sob a responsabilidade dos seus proprietários/inquilinos, sendo da sua competência e atribuição, a conservação e manutenção dos mesmos, de forma a prevenir eventuais fugas de água.

Qualquer intervenção em ramais domiciliários deverá ser previamente comunicada e aprovada pelos SMAT.

 

2. Responsabilidade do Corpo de Bombeiros e Proteção Civil

a) Boca-de-incêndio ou Marco de Água

Dispositivo que funciona como tomada de água para utilizar em caso de incêndio.

 

3. Responsabilidade dos SMAT

a) Ramal de Ligação

Canalização que liga a Rede Geral de Distribuição ao ramal domiciliário, ou a boca-de-incêndio e marcos de água.

b) Válvula de Corte de Ramal

Válvula que regula o fornecimento de água ao prédio, que deve estar acessível e em condições de ser manobrada pelos SMAT. Válvula de corte de ramal, estabelecendo limite do ramal de ligação e o inicio do ramal domiciliário.

c) Rede Geral de Distribuição

Sistema de canalizações, órgãos e equipamentos instalados na via pública.

d) Reparação

Em caso de rotura ou fuga de água nas canalizações prediais de distribuição ou nos dispositivos de utilização, o Cliente (ou outro responsável) deverá proceder à respetiva reparação.

ATENÇÃO

Os SMAT deverão ser sempre contactados quando, por motivo de reparação, seja necessário manobrar a válvula de corte de ramal ou válvula de olho-de-boi, pois é a única entidade com competência legal para a realizar. Todas as reparações efetuadas estão sujeitas à apreciação técnica dos SMAT.

 

4. Alteração e substituição

Antes de proceder a qualquer alteração/substituição nas canalizações do seu fogo ou fração independente ou nos espaços comuns do prédio, terá de consultar os SMAT/CMP e entregar, se necessário, a documentação exigida, no sentido de obter a prévia aprovação do mesmo.

Sempre que se julgue conveniente, os SMAT poderão proceder à fiscalização das canalizações e dispositivos de utilização, devendo para o efeito ser facultado o acesso às instalações. Como resultado destas fiscalizações, os SMAT indicarão quais as reparações necessárias e o prazo permitido para a execução das mesmas.

 

Novos abastecimentos

Novos abastecimentos

Os SMAT, enquanto entidade responsável pelo desenvolvimento de processos de abastecimento dos edifícios inseridos no concelho de Portalegre, pretendem que o abastecimento de água se caracterize como um serviço de qualidade respeitando os aspetos essenciais de ordem social e ambiental. 

 

1. PROJECTOS DE REDES PREDIAIS

No domínio dos Novos Abastecimentos e em termos metodológicos, a generalidade das obras relativas às redes prediais, que são levadas a efeito no Concelho de Portalegre, devem ser sujeitas à entrega atempada de um Projeto de Redes Prediais. O mesmo fará parte integrante na constituição de um Processo de Abastecimento (Documentação, Peças Escritas e Peças Desenhadas).

A aprovação de um Processo de Abastecimento por parte dos SMAT, estabelece que o mesmo atende às principais condições de um abastecimento adequado aos futuros clientes dos SMAT, tanto em termos de pressão e caudal, como em termos de qualidade de água.

Localização

Para a elaboração de um Projeto de Rede Predial é necessária informação relativa à localização pormenorizada da instalação.

Estes elementos devem ser solicitados à Câmara Municipal de Portalegre, a escala percetível do local onde se pretende abastecer e com a definição da área abrangida pelo empreendimento em causa.

 

2. PROJECTOS DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Interferências com a rede de distribuição

Qualquer empreendimento deve ser analisado na perspetiva da sua interferência com as infraestruturas existentes no subsolo.

Com base neste pressuposto deve o Promotor/Projetista solicitar sempre na fase inicial o cadastro das infraestruturas aos SMAT, de modo a detetar quais as potenciais interferências.

Na eventualidade de se preverem interferências deverão ser efetuadas pesquisas/sondagens manuais e respetivo levantamento topográfico se necessário, visando a salvaguarda da integridade das estruturas.

Estes trabalhos deverão decorrer com o acompanhamento dos SMAT, pelo que o mesmo deve ser solicitado à respetiva área de vigilância da rede.

Os encargos decorrentes desses trabalhos ou de qualquer dano causado às infraestruturas serão da responsabilidade total do Promotor.

Verificando-se a existência de interferências, com necessidade de desativação de rede de distribuição, o processo deverá se desenvolver com a seguinte configuração:

- Deve ser solicitado por escrito a desativação de rede, identificando-se com uma planta em anexo, o local em questão.

- Os SMAT após análise de rede, irá elaborar o projeto de execução, que contempla duas fases, e realizará as respetivas obras:

1ª Fase – Desativação de rede. Instalação de extremos e rede provisória (bypass) se necessário.

2ª Fase – Instalação de rede definitiva. Esta fase será executada quando estiverem reunidas as condições necessárias em obra para a instalação da rede definitiva.

ATENÇÃO: Os custos dos trabalhos relativos às duas fases serão suportados pelo Promotor.

 

3. PROJECTOS DE AMPLIAÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Nas situações em que os SMAT tenham que efetuar ampliação da sua rede de distribuição para realizar novos abastecimentos, o Promotor deverá ter em atenção o seguinte:

1ª Fase – Para obtenção do licenciamento do loteamento junto da CMP

Devem ser entregues nos CM (que posteriormente encaminha para os SMAT) os seguintes elementos: Arranjos exteriores, incluindo também a definição dos arruamentos bem como a delimitação da propriedade, e indicação da previsão da localização das condutas de distribuição e dos ramais de ligação do empreendimento.

Após a análise dos mesmos, e no pressuposto de se encontrarem reunidas as condições necessárias e suficientes para que estes Serviços possam responsabilizar-se pela execução do projeto, bem como pelo prolongamento da rede de distribuição de água ao empreendimento, de acordo com a Legislação em vigor, será enviado oficio por parte dos SMAT, à CMP e esta ao Promotor aprovando o projeto.

Nesta fase será elaborado pelos SMAT um Estudo Prévio/ Projeto.

2ª Fase – Projeto de Execução

Os SMAT elaborarão o projeto de prolongamento da rede. O mesmo será desenvolvido com base no estudo prévio realizado por esta entidade aquando da 1ª fase, em simultâneo e em sintonia com o desenvolvimento dos processos de abastecimento.

ATENÇÃO: Existindo alterações à 1ª fase, o Promotor deverá informar a CMP fazendo chegar as alterações a estes Serviços, de modo a que sejam analisadas e contempladas nesta fase. Caso seja necessário, os processos de abastecimento das redes prediais também deverão incluir as alterações efetuadas; O projeto de execução será concluído após os processos de abastecimento do empreendimento em questão se encontrarem aprovados e fiscalizados.

3ª Fase – Execução da Obra de Ampliação

A execução da obra de ampliação será desenvolvida com base no projeto de execução e no planeamento definido conjuntamente entre os SMAT e o Promotor.

ATENÇÃO: Nesta fase, em que os processos de abastecimento já se encontram fiscalizados, proceder-se-á às respetivas ligações do empreendimento/loteamento à rede pública de abastecimento de água; Os custos da rede de distribuição delimitada pelo projeto e os ramais de ligação serão suportados pelo Promotor; A mencionada rede fica a fazer parte integrante da rede de distribuição e a pertencer em exclusiva propriedade dos SMAT após a receção definitiva.

 

4. EXECUÇÃO DE RAMAL

Procedimentos

Solicitação de orçamento de execução;

Liquidação do valor orçamentado e celebração de contrato de fornecimento;

Execução de ramal de ligação.

Montagem de contador, para abastecimentos definitivos

Os SMAT procederão à montagem dos contadores sempre na presença do cliente, quando se verifique todas as condições exigidas no esquema de ramal.

Montagem de contador de obras

Em instalações destinadas a obras, mantêm-se os requisitos definidos nos procedimentos e na montagem do contador para abastecimentos definitivos, com exceção da caixa de contador, que deverá ser construída uma caixa em madeira, alvenaria ou metal, de acordo com o esquema.

Após efetuado o pedido de contador de obra, os SMAT combinam com o requerente uma visita ao local a fim de definir o local onde será construído ou instalado o abrigo para o contador de obras.

Encontrando-se definido o local será então colocada a caixa de madeira ou metálica, e os SMAT instalam o referido contador de obras.

 

Novos abastecimentos - Perguntas frequentes

PERGUNTAS FREQUENTES

 

1. Onde entregar o Processo de Abastecimento?

Os processos de abastecimento podem ser apresentados na CM Portalegre

 

2. Quais os elementos necessários para constituição de um Processo de Abastecimento?

Elementos obrigatórios na constituição do processo:

a) Pedido de aprovação pelo requerente, podendo ser o proprietário ou até mesmo o inquilino. Caso o requerente do processo seja o "inquilino" é necessário entregar declaração do proprietário a autorizar a realização das obras em causa.

b) Fotocópia do bilhete de identidade do requerente do processo

c) Declaração de responsabilidade do autor do projeto

d) Fotocópia do bilhete de identidade do autor do projeto e declaração da entidade/associação onde o técnico se encontra inscrito;

e) Memória descritiva (descrição do projeto em texto, indicando os objetivos, se já tem ou não ligação, serviço de incêndio, os materiais, os cálculos e o quadro sinóptico – esquema que indica o nº contadores para efeitos de faturação, sendo obrigatório se o processo tiver mais do que um contador);

f) Planta de localização a uma escala que seja possível localizar com clareza o local;

g) Peças desenhadas das redes prediais (plantas, cortes e alçados). ATENÇÃO: Todos os elementos devem estar rubricados pelo autor do projeto.

Outros elementos necessários (que podem ser entregues mais tarde):

h) Declaração de responsabilidade do Técnico responsável pela execução da obra de instalação de redes prediais de água, pode ser assinado por: Eng.º Civil; Eng.º Mecânico; Eng.º Eletrotécnico; Eng.º Agrónomo. Nota: Para a situação específica de arquitetos e técnicos com formação no Curso Industrial de Construtor Civil, podem estes elaborar projetos de redes prediais de acordo com a legislação vigente.

i) Fotocópia do bilhete de identidade do responsável pela execução da obra e declaração de inscrição na associação da classe.

Elemento facultativo:

Documento com valor de pressão fornecido pelos SMAT. Pode ser pedido antecipadamente aos SMAT por escrito ou por mail, indicando a morada e o motivo a que se destina. É também necessária planta de localização à escala 1:1000.

Outros Elementos:

Declaração de substituição do técnico responsável pelo projeto e/ou execução das redes de água, devidamente preenchidas pelo novo técnico projetista, respetivamente.

Declaração de aquisição de propriedade

 

3. Em que situações é necessário rede de incêndio?

Todos os projetos com alteração de arquitetura e/ou tipo de utilização têm de ser apresentados à Câmara Municipal Portalegre e por conseguinte ao Corpo de Bombeiros, que emitirá um parecer.

Este parecer pode ainda remeter para a necessidade de um projeto de rede incêndios aprovado pelos Corpo de Bombeiros, que tem de ser entregue.

Nas situações em que existe projeto de rede de incêndios, este deverá estar devidamente visado (carimbado e rubricado) pelo Corpo de Bombeiros.

É exigido projeto de rede de incêndio aprovado pelo Corpo de Bombeiros nos edifícios novos que incluam sistema de incêndio ou remodelações com alteração do tipo de utilização (habitação passa comércio e vice versa caves a garagens).

Exceção: No caso de remodelações, dispensa-se o parecer do Corpo de Bombeiros se as alterações em projeto não implicarem alterações da função do edifício ou fração (tipo utilização), nem de arquitetura.

 

4. Quais as fases do desenvolvimento de um Processo de Abastecimento?

a) Análise da Rede

O processo irá “para análise de rede” onde é efetuada a análise da rede de distribuição, ou seja, verifica-se se há rede existente ou se é necessário fazer uma ampliação (rede em projeto). Para ampliação de rede é efetuado um estudo/projeto de execução da rede de distribuição.

b) Análise do Processo de Abastecimento

Procede-se à “análise” do processo, concretamente a documentação apresentada, as peças escritas e as peças desenhadas, etc.

c) Aprovação do Projeto

No caso de “aprovação do processo de abastecimento” é enviada carta mencionando o seguinte: Informa-se que o projeto foi aprovado.

d) Não Aprovação do Projeto

No caso de o projeto não ser aprovado envia-se uma carta mencionando o seguinte:

Informa-se que o projeto não foi aprovado;

É enviada em anexo a ficha de análise com o resultado da mesma e as observações identificadas;

Solicitam-se os elementos e documentos em falta, para dar seguimento ao processo, podendo ser necessário entregar na CM um projeto de alterações, com as páginas que sofreram alterações e uma adenda à memória descritiva se esta também tiver alterações (3 exemplares – pois o processo ainda não foi aprovado).

e) Reanálise do Processo de Abastecimento

Na sequência da carta a informar que o projeto não foi aprovado, o requerente envia ou entrega no CM um projeto de alterações (com as páginas do projeto que sofreram alterações) e os elementos/documentos em falta.

Também pode acontecer que tenham sido acrescentadas mais alterações ao projeto por iniciativa deste e o requerente aproveite para remeter em conjunto para a EPAL.

De seguida é feita uma “reanálise”. Se o processo for aprovado, segue-se o procedimento da fase 3 – Aprovação do projeto.

f) Marcação de Fiscalização

Para solicitar a fiscalização, o requerente necessita fornecer os seguintes elementos:

Nº do processo de abastecimento;

Nome do requerente da fiscalização;

Número de telefone (para posterior contacto).

 

g) Fiscalização da Obra

Decorrente da fiscalização pode acontecer 3 situações:

Estar tudo em condições, de acordo com o projeto e a obra concluída (fiscalização executada).

Terem sido efetuadas alterações não contempladas no projeto aprovado pelos SMAT, pelo que será necessário entregar um projeto de alterações, que será novamente alvo de e análise e fiscalização (1 exemplar – pois o processo já foi aprovado).

Não ter sido tudo efetuado conforme estava previsto no projeto aprovado pelos SMAT (obra incompleta) ou existirem problemas na obra. Neste caso é necessário executar o que falta ou retificar os pormenores e pedir nova fiscalização.

É deixada no local ficha de fiscalização, que é rubricada pelo Fiscal e pelo técnico responsável da obra. Esta ficha indica o que é necessário realizar e/ou retificar.

h) Cadastro

Após a fiscalização ser concluída (executada) procede-se à abertura dos locais no “cadastro” de clientes dos SMAT, ou seja, são criadas/inseridas informações relativas ao prédio e aos locais.

 

5. O que fazer em caso de necessidade de substituição da coluna do prédio?

O projeto deve ter em conta o seguinte:

Prever a instalação de contadores em bateria.

Quando o edifício não apresentar condições para a instalação de bateria de contadores deve ser feita, pelo dono de obra, uma exposição aos SMAT para emissão de parecer. Nesta situação todos os contadores devem ficar localizados no exterior dos fogos, junto ao respetivo acesso, em espaço comum, e instalado em caixa regulamentar.

 

Tarifa de Ligação

0,758 €/m2 de área bruta de construção

Consumidores sem contrato de fornecimento de água – tarifa de utilização calculada com base na capitação média de água do concelho de Portalegre reportada ao ano anterior (--L/hab.dia)

TARIFA (€/m3 de água – valor mensal)

Doméstico

0,81

 

 

 

 

Consumidores com ou sem contrato de fornecimento de água – com dispositivo de medição de caudais

TARIFA (€/m3 de efluente industrial)

Indústria

0,87

Tarifa de Utilização

Parte Variável €/m³

Domésticos

0,81

Comercio, Industria e Estado

0,85

Instituições

0,48

Garagens Particulares

0,81

ブランドコピー スーパーコピーブランド コピーブランド ブランドバッグコピー ブランドコピー時計 ブランドコピー財布